Stephen Hawking prevê futuro difícil para a classe média

Físico questiona em seu artigo a automação das indústrias, que aos poucos vai causando ainda mais desigualdade

Publicado em 07/12/2016

O maior cientista do mundo deu seu parecer sobre o destino próximo da humanidade, mais precisamente da classe média, ao colocá-la em perigo devido aos avanços tecnológicos. Stephen Hawking divulgou um documento opinativo para o The Guardian comentando sobre como a mão-de-obra tem se automatizado e tirado um número alto de empregos, ameaçando a classe social em questão e causando ainda mais desigualdade.

A automação das fábricas já tem dizimado empregos na manufatura tradicional”, começou ele. “O crescimento da inteligência artificial vai provavelmente estender essa destruição de empregos profundamente nas classes médias, com apenas os papéis mais cuidadosos, criativos e supervisórios sobrando”, comentou. 

Ele ainda falou sobre a desigualdade social, que tende a aumentar, afinal, poucos vão concentrar a renda, enquanto quem hoje é da classe média, vai perder capital e ter seu sustento fragilizado: “A Internet e as plataformas que ela torna possível permitem a grupos muito pequenos de indivíduos fazerem enormes lucros enquanto empregando muitas poucas pessoas. Isso é inevitável, isso é progresso, mas isso é também socialmente destrutivo.

Foto: Divulgação/Stephen Hawking